Diferentes numerações e tradução dos Salmos

Diferentes numerações e tradução dos Salmos

Muitas vezes, encontramos em nossas Bíblias e nos folhetos de Missa dois números diferentes em cima de um Salmo. Um número está entre parênteses. E, em geral, a diferença entre os dois números não passa de um. Por que acontece isso?
Precisa ser dito, por primeiro, que os Salmos foram escritos, originalmente, na língua hebraica. Assim chegaram a fazer parte das Sagradas Escrituras do povo judeu. Posteriormente, por sua vez, também os cristãos acolheram essas tradições – e, com isso, os Salmos – como suas Sagradas Escrituras, lendo tais textos como primeira parte de sua Bíblia, ou seja, como Antigo Testamento. “Antigo” indica, neste caso, simplesmente aquilo que existiu por primeiro. 
A numeração diferente dos Salmos,

no entanto, tem a ver com as antigas traduções da Bíblia hebraica. Já no século 3º antes de Cristo, surge, como parte da história do povo judeu, a primeira tradução dos textos hebraicos das Sagradas Escrituras para o grego, conhecida como “Septuaginta” ou “Setenta”. Ao traduzir os Salmos, acontece o seguinte: a tradução grega junta os Salmos 9 e 10 e os Salmos 114 e 115. Em cada caso, dois Salmos são unidos para sobrar um só. Com os Salmos 116 e 147, porém, acontece justamente o contrário. Ou seja, o que é um Salmo na Bíblia hebraica torna-se dois Salmos na tradução grega. Com isso, têm-se as seguintes diferenças na numeração:

Bíblia hebraica              Traduções em grego e latim

Salmos 1-8                             Salmos 1-8
Salmos 9-10                           Salmo 9
Salmos 11-113                       Salmos 10-112
Salmos 114-115                     Salmo 113
Salmo 116, 1-9                       Salmo 114
Salmo 116, 10-19                   Salmo 115
Salmos 117-146                     Salmos 116-145
Salmo 147, 1-11                     Salmo 146
Salmo 147, 12-20                  Salmo 147
Salmos 148-150                    Salmos 148-150

Todavia, existe uma dica que pode ajudar na compreensão da numeração dupla em nossas Bíblias e folhetos de Missa: o número mais alto sempre se refere à numeração no texto hebraico! O número mais baixo, por sua vez, indica a numeração na tradução grega. Aliás, a Vulgata, tradução latina das Sagradas Escrituras e texto oficial na Igreja Católica, mantém a numeração da tradução grega. número mais baixo

Enfim, de fato é interessante estudar a história do texto bíblico, incluindo a história das antigas traduções. Mais importante ainda, porém, é que acolhamos novamente os Salmos em nossas vidas, tirando proveito de suas palavras, fazendo delas nossas orações.


Dr. Matthias Grenzer, professor de Teologia Bíblica na Faculdade de Teologia da PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (SP).

Komentarze