Maria: Mãe de Jesus e nossa mãe - Kaio Henrique


Maria: Mãe de Jesus e nossa mãe

Lembro da devoção popular a mãe de Deus que o povo simples expressa por meio de suas promessas, paga com rezas, ladainhas e benditos. Uma vez um jovem perguntou-me: „Para você quem é Maria, o que significa e representa para o povo?” Hoje neste pequeno artigo quero expressar, de maneira simples, o valor de ter uma Mãe tão simples, meiga e pura. Maria -  um nome que carrega uma história. Eu vejo Nossa Senhora como tantas Marias que hoje cuidam de casa, da educação do filho, se preocupam com o marido e acima de tudo amam sua família. Nossa Senhora não se deixa levar pela realeza, não pense que ela teve uma vida fácil, de princesa como acostumamos ver nos filmes, mas sim ele sofreu, quantas vezes não deve ter chorado sem saber onde estava seu Filho, exemplo a perda e encontro de Jesus no templo, quantas vezes já deu uns puxões de orelha em Jesus, ela educou seu Filho, ela teve trabalho de mãe. Hoje queremos olhar para Maria como aquela mulher que faz tudo por seus filhos.
Na cruz Deus nos deu Maria como mãe, imagina que presente ganhamos! Ter a graça de uma mãe tão serena, tão cuidadosa e preocupada, ela intercede por nossas necessidades, um exemplo nas bodas de Caná quando falta o vinho ela intercede, podemos colocar a falta de vinho em nossas vidas como a falta de saúde, alegria, amor, carinho e paz, ela intercede e nós ajuda a recuperar nossas forças em Cristo.
Maria não passa a frente; quem vai a frente é seu Jesus, nos guiando como pastor, Maria vai atrás nos empurrando, encorajando para não desistirmos no meio do caminho. Ela nos ama e sempre vai dar um jeito para que nenhum dos seus filhos passar necessidades. Maria na devoção popular é um refúgio, aí vem se concretizar aquilo que ela disse no Magnificat:  “O poderoso fez por mim maravilhas, santo é seu nome”. O povo simples crê na promessa, da elevação dos humildes onde tudo será igual em ambas partes.
Maria nos mostra o Cristo, como um libertador. Ele de verdade nos liberta das amarras do pecado e Maria se encaixa nessa intercessão para ver seus filhos libertos, alegres e vivos em Cristo. Maria é digna de nossas honrarias, pois por meio do seu “Sim” a vontade de Deus foi feita. Devemos aprender a dar o nosso “sim” como Maria e sempre dizer: ”Eis aqui a escrava do Senhor, faça-se em a tua vontade não a minha”. (Cf. Lc ,138).

Kaio Henrique Marques
Postulante redentorista – I ano de Filosofia – Salvador BA


Komentarze